Não sou a sombra do que desejo ocultar, não sou o brilho que se faz reluzir, sou a análise do labirinto que nem sempre se diz conduzir, mas que faz embragar-se. Sou doce, sou o amargo, sou as lições, sou as conquistas, sou o que de prazer se faz retornar, sou para onde me direcionar.