Você constrói, o outro destrói... Seus olhos calam, sua voz fala... Então você dá mais uma chance para o perdão, tenta esquecer... e silencia. Mas já sabe de cor e salteado que não há nenhum mérito em ser assim... Então o jardim pergunta para a roseira: valeu a pena dar belas rosas... e esses espinhos que restam? E, mais uma vez, você tenta, esquece, e recomeça, mesmo sabendo que as cicatrizes deixaram as marcas... Mas na construção do amor há mais humildade do que sabedoria. Na casa há mais portas abertas do que janelas. Por isso apenas olhe para frente, não fale ouça o seu coração... Olhe para frente, siga em frente!