Sou metade cúmplice, metade vítima por ser assim como sou. A causa de eu ser como sou e minhas atitudes são relacionadas às minhas experiências já vividas, não reclamarei de passado injusto, o passado nos marca sim, mas eu fiz escolhas, muitas vezes sem voltas, por outras refeitas e em tantas vezes perfeitas. Reconheço sou sujeito ativo e responsável pelo próprio destino. Não deixei ser importante o que os outros pensaram de mim, porém sim o que fiz a partir disso, as criticas não ditaram como sou só situaram pra onde deveria ir. E assim sigo, pelo pensamento positivo, na esquiva das contrariedades, colocando em mente que o poder do bom pensamento influencia a realidade. Ainda tenho dificuldades aceitar algumas coisas que passo, e reparo o tempo que se leva ignorando alguns problemas é desperdiço. Estou longe de encontrar respostas a todos meus questionamento, vejo o caminho demorado e longo, mas vou sem pressa e constante, meu alimento é busca incessante, pelo querer ir além do óbvio e a vontade de enxergar a realidade um pouco diferente daquela que é jogada aos meus olhos. No fim, quero apenas encontrar meu espaço, aceitando que sou apenas mero aprendiz da vida a cada ano que se passa.