Poema Pai velho

Debruçado na janela
Olhando os campos sem fim
Vejo-te perto de mim
Cabisbaixo e pensativo
Na busca de um lenitivo
Pra tornar a vida mansa
E teu abraço quase alcança
Essa distância em que vivo.

Esta tua ausência, pai velho,
Eu sinto no mate amargo
Nesta saudade que trago
Dos tempos da minha infância
Sem pensar que a distância
Fosse o preço da evolução
Para eu jamais ser peão
Como foste em criança.

Teu rosto todo marcado
Por tempo de sacrifício,
quando no labor do ofício
Galopando nas coxilhas
Nessas madrugadas frias
Domava teu sofrimento
Lutando pelo sustento
Da tua humilde família.

Ergue a cabeça, pai velho,
Herói que não tem medalhas,
Vencedor de mil batalhas
Na sociedade, esquecidas,
Tuas histórias serão lidas
Pelos teus descendentes
Que ensinaste a ser decentes
Com teus exemplos de vida.
Feliz Dia Dos Pais!!!